Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

Painel H&C
Revista H&C - Edição 110

Beauty devices: personalização e eficiência no auge da inovação

TERÇA-FEIRA, 23 DE OUTUBRO DE 2018

Os dispositivos de beleza já estão presentes no cotidia­no de muitas pessoas há algum tempo, com secadores, barbea­dores, chapinhas, entre outros. Porém, nos últimos anos, dispo­sitivos inteligentes de beleza com mais funções tecnológicas e até um grau de personalização che­garam ao mercado para marcar de vez uma grande mudança no universo da beleza. Nomeados de beauty devices, os já conhecidos aparelhos cosméticos de uso do­méstico ganham novos modelos, funções e designs.

Em 2016, o mercado europeu de aparelhos de beleza para uso do­méstico mostrou um crescimento de 13%. Aparelhos para depila­ção, antienvelhecimento e limpe­za são os carros chefes de mui­tas marcas, representando 75% do total das vendas na Europa, segundo dados da Factor-Kline. Apesar disso, aparelhos para cui­dados com o cabelo apresentaram maior crescimento, muito movido pela entrada de marcas america­nas nesse mercado.

Os americanos, aliás, são consi­derados o maior público consu­midor desse segmento, devido ao seu pioneirismo neste campo. Entretanto, consumidores na Ásia estão ansiosos para testar produ­tos que melhorem a pele, por isso o crescimento tem sido mais forte por lá, tanto que o mercado asi­ático superou os Estados Unidos como maior mercado de disposi­tivos em 2016.

Para este ano, a expectativa é de crescimento no consumo destes devices nos EUA e na Europa, principalmente pelos produtos estarem cada vez mais acessíveis. Karen Doskow, uma das especia­listas em dispositivos de beleza da Factor-Kline, conta que a intro­dução de produtos a preços mais baixos serão boas oportunidades no mercado. “Dispositivos de lim­peza de silicone, por exemplo, ao preço de US$10 acaba abrindo o mercado para uma ampla gama de novos consumidores, princi­palmente por atraírem a geração Z e os Millenials”.

Ela também comenta que aquisi­ções de empresas de tecnologia por grandes varejistas de cosmé­ticos dão mais gás ao setor. “É in­teressante que duas das principais concorrentes no mercado norte­-americano, TRIA Beauty e Ilumi­nage Beauty, tenham sido adqui­ridas pela Channel Investments em 2017. Sem dúvida, uma nova perspectiva e uma nova estratégia de e-commerce trarão melhorias à rentabilidade dessas marcas, que vêm lutando no ambiente atual de varejo”, complementa.

Kelly Alexandre, outra especia­lista da Factor-Kline, conta que os dispositivos focados no trata­mento da acne também estão em ascensão. “A categoria de acne cresceu quase 50% no ano pas­sado. A Neutrogena, da Johnson & Johnson, foi capaz de obter cer­ca de 30% das vendas de dispo­sitivos para acne em 2017. Além do acessível Light Therapy Acne Mask, por US$ 34,99, a marca também lançou o Light Therapy Acne Spot Treatment com pre­ço inferior a US$20, para que os consumidores possam tratar suas manchas de forma localizada”.

A analista também destaca um dos lançamentos mais notórios do último ano, lançado no final de 2017: o NuBody Skin Toning Device, da marca NuFace, que é lí­der no mercado norte-americano de antienvelhecimento. O dispo­sitivo faz a redução da celulite e enrijece/ tonifica o corpo. “Espe­ramos que esse produto estimule o surgimento de outros similares no mercado e que o crescimento dessa categoria em 2018 seja sig­nificativo devido a essa introdu­ção”, projeta Kelly.

Beauty Devices em solo nacional

Assim como em outros países, os beauty devices já estão no mercado há algum tempo, mas ainda não avançaram tanto suas tecnologias. No Brasil, mais que auxiliar no cuidado pessoal, esses dispositivos também estão sendo usados para oferecer tratamentos cosméticos ainda mais eficazes. Exemplo disso é a fabricante de insumos Chemyunion que adotou os beauty devices para ilustrar a eficácia de seus ingredientes após conhecer algumas tendências durante visitas a países asiáticos como Japão e China.

Os dispositivos estão contribuin­do na melhor compreensão dos benefícios, impactando na adesão do tratamento e na percepção dos efeitos, que muitas vezes não são notados apenas pelo tato ou a olho nu. “Acreditamos que para o mercado de dermocosméticos os devices podem ser de grande va­lia. O consumidor final, disposto a pagar por um tratamento, ficará feliz em perceber os resultados que vão além das questões sen­soriais”, explica Sérgio Gonçalves, diretor de marketing e negócios internacionais da Chemyunion.

Atualmente, a empresa vem uti­lizando os devices para avaliação imediata de oleosidade; profun­didade das rugas; medida da hi­dratação da pele, dentre outros. A decisão de utilização desses apa­relhos implica em validar suas fun­cionalidades e buscar coerência e consistência nos dados obtidos. Já para o desenvolvimento de novos produtos, os aparelhos podem ser usados em testes de eficácia e na criação de produtos que são ativa­dos por outros devices, mas atual­mente eles são mais usados como meios de avaliação, direcionados ao mercado B2C.

A fabricante avalia que os apa­relhos ainda encontram dificul­dades econômicas para evoluir alguns processos no Brasil, mas acredita que aos poucos chega­remos nesta nova realidade. “O encontro entre o consumidor e a tecnologia será inevitável. Há ten­dências claras sobre IoT (Internet of Things) que demonstram isto. Já existem 16 biosensores que po­dem medir aspectos fisiológicos e transferir as informações cole­tadas a um app ou a um device. Atualmente, as pessoas chegam a ter quatro aparelhos eletrônicos (laptop, smartphone, ipad, reló­gio etc.)”, diz Gonçalves.

O executivo também acredita que a conexão homem-máquina já acontece e deverá evoluir. “Exem­plos são os equipamentos de voz como Alexia (Amazon), Ok Goo­gle e Siri (Apple), que são novas formas de usos e costumes. Há uma convergência tecnológica muito forte entre cognição, infor­mática, nanotecnologia e biologia que, associados ao aumento da velocidade do desenvolvimento da inteligência artificial e novos processadores quânticos (Qbits), irão impactar o desenvolvimento de soluções e interações que ain­da não percebemos”, conclui.

Todas estas tendências de merca­do e comportamento serão apre­sentadas na FCE Cosmetique, que acontece entre os dias 21 e 23 de maio de 2019, no São Paulo Expo. Acesse o site do evento para con­tinuar tendo acesso aos conte­údos exclusivos e de relevância para o setor.

www.fcecosmetique.com.br

 

 

Mais sobre esta Edição
Parceiros H&C
  • ABC
  • Abipla
  • Abre
  • ABT
  • Anvisa
  • FCE Cosmetique
  • FtechSM
  • iCosmetologia
  • AACD
Rua Rio da Prata, 164 - Brooklin - São Paulo - SP - Brasil - CEP: 04571-210

Ftech Soluções em Internet