Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

Painel H&C
Revista H&C - Edição 104

Sabonetes oferecem mais que limpeza

QUARTA-FEIRA, 27 DE SETEMBRO DE 2017

No último ano, a Natura apresentou ao consumi­dor novas formulações e texturas em sabonetes, como os itens em barra da linha Tez, desenvolvidos para o rosto, e os produtos Ekos, com óleos da biodi­versidade amazônica. O que essas novidades, entre outras, tinham em comum? Tecnologia. “Esses lançamentos privilegiam o uso de novas soluções, sempre associadas ao uso sustentável de ingredien­tes”, explica Daniel Gonzaga, dire­tor de desenvolvimento de produ­tos e inovação da empresa.

O sabonete Tez, segundo o executivo, possui uma formula­ção que reproduz as características funcionais de limpeza com proprie­dades que conferem mais benefí­cios à pele, como pH mais baixo e maior suavidade dos agentes ten­soativos em relação aos produtos convencionais. Para itens da marca Ekos, a fabricante trouxe formula­ções em barra com novas caracte­rísticas sensoriais, dando destaque ao uso de óleos amazônicos.

“Já para os líquidos, temos uma nova textura de sabonete em óleo, com sensorial diferenciado, nas marcas Ekos e Tododia. Além disso, inovamos trazendo uma nova tecnologia relacionada ao microbioma da pele, na marca Na­tura Naturé, linha infantil da em­presa”, acrescenta Gonzaga.

Mais benefícios – O diretor da Natura explica que é possível reu­nir diversos benefícios nos pro­dutos da categoria de sabonetes. Ele conta que no caso de Tez, mesmo usando uma tecnologia de formulação diferenciada, foi possível alcançar uma alta por­centagem de uso de ingredien­tes vegetais na formulação, de aproximadamente 90%. O novo sabonete Fom Fom, de Natura Naturé, também ilustra como a funcionalidade pode ultrapassar os limites da limpeza. “O produto mantém a pele limpa e prolonga a proteção contra os agentes mi­crobianos externos, isso devido a uma combinação perfeita de in­gredientes”, afirma Gonzaga.

Pesquisas nos Laboratórios Natura comprovaram que, uma hora após a lavagem, o sabonete Fom Fom forma uma espécie de escudo que reduz em aproxima­damente 30% as bactérias nocivas presentes na pele. “Isso só é pos­sível porque a Natura se preocupa em desenvolver e pesquisar pro­fundamente a pele para oferecer formulações mais equilibradas de acordo com as suas necessidades”, completa o executivo.

Já as barras de Ekos, ressalta Gonzaga, proporcionam espuma densa e cremosa, limpam com su­avidade, protegem e mantêm a hi­dratação natural, deixando a pele macia, além de priorizarem o uso de ingredientes da biodiversidade brasileira. Os sabonetes líquidos em óleo possuem fórmulas anidras, contendo alto teor de óleo (+70%), e proporcionam espuma cremo­sa, limpeza suave, deixando a pele hidratada por até oito horas, com filme residual que não deixa a pele pegajosa. Prometem manter a sen­sação de pele hidratada e macia.

Além da formulação e seus benefícios, é possível tornar os sabonetes mais atrativos ao con­sumidor pelo seu formato. “A categoria permite uma ludicida­de quanto a texturas e formatos. Por exemplo, os sabonetes em barra de Ekos possuem formatos diferenciados: versões desenhadas com histórias dos ativos/comuni­dades, formatos de frutas da bio­diversidade brasileira, estojos pre­senteáveis com aspecto artesanal. Além disso, são múltiplas possibi­lidades de novas apresentações, como pasta, gel, massinha (flexí­vel), escamas e esfoliantes, entre outros”, conclui Gonzaga.

Valor agregado – A Colgate­-Palmolive é outra grande empre­sa do setor que está de olho nas oportunidades que a categoria de sabonetes apresenta. No início do primeiro semestre, sua marca Palmolive apostou em mais valor agregado, lançando sabonetes com sementes de frutas naturais para auxiliar na esfoliação da pele. A nova linha Natureza Secreta, de sabonetes líquidos e barras, é uma inovação para o consumidor e para a própria empresa.

“Uma expansão da marca para territórios mais premium, ain­da que para o mercado de massa”, diz Marcelo Cruzato, diretor de marketing. Os itens de maracujá e açaí possuem fragrâncias e tex­turas que prometem oferecer uma nova experiência na hora do ba­nho. A linha foi desenvolvida em parceria com a IFF.

Segundo o executivo, Palmo­live está inovando em cada lança­mento, atribuindo aos produtos fragrâncias desejadas, embalagens diferenciadas e cores impactantes. A mais recente novidade da mar­ca no mercado de sabonetes, de agosto, é a linha Palmolive Natu­rals Jasmim & Manteiga de Cacau. Cruzato explica que tanto a flor jasmim quanto o extrato de man­teiga de cacau são ingredientes modernos e desejáveis, inspirados em marcas sensoriais e uma das cinco principais e preferidas com­binações dos consumidores.

Tradição para perfumar – Há décadas presente no ramo dos sabonetes perfumados com fra­grâncias diferenciadas, a marca Francis, da Flora, é tradicional no mercado brasileiro, principalmen­te com seus sabonetes em barra envoltos com lencinhos perfuma­dos e embalados em caixinhas, o que, segundo a própria fabricante, ajuda a mantê-los perfumados por mais tempo. Em 2016, entretanto, Francis trouxe para seu portfólio uma linha completa de sabonetes líquidos, produzidos com óleos florais também usados nas versões em barra.

“Diferente de tudo o que já foi visto no ponto de venda, a li­nha é composta por três fragrân­cias exclusivas, desenvolvidas por renomados perfumistas de casas de fragrâncias internacionais”, afir­ma Bruno Pimenta Alves, gerente de marketing de Francis. O exe­cutivo conta que essas fragrâncias foram testadas e comparadas com produtos da perfumaria fina in­ternacional, reconhecidos por sua qualidade. “As fragrâncias de Fran­cis se mostraram superiores aos benchmarks, sendo amplamente aprovadas pelas 300 consumidoras entrevistadas. As três fragrâncias apresentadas foram: Peônias da Itália, Frésias da África e a grande vencedora Verbena da Sicília.

Para inovar, Alves reforça a importância de conhecer o públi­co-alvo. “Para criar esse produto que é a grande inovação da mar­ca em seus 40 anos de existência, Francis procurou entender como é a relação de seus consumidores com o banho, ou seja, qual a im­portância desse momento para as mulheres”, diz. Durante esse es­tudo, a empresa identificou que existem dois tipos de banho: o matinal, com a função de desper­tar e preparar para o dia, e o ba­nho da noite, que renova e acaba com qualquer mal-estar gerado pela rotina corrida.“Pensando nesse segundo ba­nho, a marca buscou desenhar um produto com uma fórmula cujo principal objetivo é revolucionar o sensorial, deixando a pele per­fumada e macia e trazendo uma experiência que auxilia nesse mo­mento de desligamento tão de­sejado”, explica o gerente. Além do mais, a textura do produto foi desenvolvida para ser cremosa e deixar a pele macia.


 “O formato líquido ainda tem grande potencial, já que está em apenas 29% dos lares”, diz Bruno


A perfumação de Francis, complementa o executivo, foi de­senvolvida para envolver a consu­midora em todos os momentos do banho e permanecer tanto no de­ vapor que fica no banheiro, o cha­mado blooming, quanto na pele, sendo esse lasting muito importan­te na categoria, uma vez que signi­fica a sensação do banho durando por mais tempo.

A embalagem em acabamen­to translúcido facilita enxergar o conteúdo, com o produto perola­do, um diferencial na categoria de sabonetes líquidos, segundo Alves. “A cor perolada foi escolhida para remeter ao lenço perfumado que envolve cada um dos sabonetes clássicos de Francis, com os quais a marca construiu seu posicionamen­to”, afirma. O frasco foi pensado para que remetesse à caixinha de Francis em barra, portanto, tam­bém traz uma forma retangular com um tamanho um pouco maior que os concorrentes, para chamar atenção no ponto de venda. “Tam­bém traz ilustrações dos principais ingredientes em destaque e ele­mentos da já icônica caixinha de Francis, o que facilita o reconheci­mento do produto e da marca, e uma tampa que ajuda na dosagem durante a aplicação, evitando des­perdício”, diz o executivo.

Líquidos promissores – Na opinião do gerente da Flora, para ser inova­dor em sabonetes é preciso propor­cionar uma experiência de banho diferenciada, portanto ingredien­tes que tragam mais espuma bem como maior velocidade de espu­mação e maior blooming, que é a explosão da fragrância no banho, são considerados pontos de inova­ção para o mercado. Mas talvez a grande oportunidade seja protago­nizada pelas versões líquidas.

“O mercado brasileiro é, ma­joritariamente, composto por sabonetes em barra, que, como sabemos, está em 99% dos la­res brasileiros. O formato líquido ainda tem grande potencial, já que está em apenas 29% desses mesmos lares, ou seja, ainda pode crescer muito em penetração, sen­do considerado ainda como uma inovação no Brasil”, afirma Alves. O gerente ressalta que muitas mar­cas ainda não possuem sabonete líquido em seu portfólio, mas que essa é uma movimentação natural da categoria, uma vez que esse formato tem mais valor agregado do que o de barra.

Para divulgar sua linha de sa­bonetes, Francis conta com uma campanha estrelada pelo casal de atores Cássio Reis e Fernanda Va­concellos, que veicula de agosto a dezembro em redes sociais, mídia programática, portais e TV paga.

Praticidade e eficácia – Conceito geralmente usado nos produtos de cuidados com os cabelos é aposta da Nivea para trazer praticidade aos sabonetes, e, claro, resultado. Nes­te ano, a marca apresentou ao mer­cado brasileiro o sabonete Nivea Men 3 em 1, disponível nas versões: Original Protect, com tecnologia hi­dratante Nivea, indicado para todos os tipos de pele; e Sensitive, para peles sensíveis. A novidade oferece cuidados com corpo, rosto e barbe­ar em um único produto.

Em 2016, a marca investiu no sabonete Nivea Creme Care, que veio ao mercado para trazer ainda mais a expertise em skin care para os sabonetes. Segundo a fabrican­te, o item vem tendo um ótimo desempenho. Com o ingrediente especial de Nivea, o Eucerit, sua fórmula proporciona uma sensa­ção de pele intensamente macia e hidratada, destaca a fabricante. Além da eficácia, possui fragrância inspirada no cheiro do creme da la­tinha azul e espuma cremosa.

“O público brasileiro prefe­re cada vez mais produtos que ofereçam mais benefícios em só produto”, afirma Tatiana Ponce, vice-presidente de inovação da Nivea nas Américas e diretora de marketing da empresa no Brasil. A executiva também ressalta a funcionalidade além da limpeza. “Como o Nivea Creme Care, que proporciona sensação de pele ma­cia e hidratada.”

Poder da fragrância – A fra­grância tem o poder de promo­ver inovação numa categoria tão consolidada como é a de sabone­tes no Brasil. “Um conceito bem amarrado a propostas olfativas criativas pode levar a resultados sensoriais surpreendentes no pro­duto final”, diz Cristiane Torina, gestora de avaliação da Vollmens Fragrances. Uma de suas estra­tégias de desenvolvimento de fragrâncias para sabonetes é a diversificação de público, por isso a empresa lançou, recentemente, quatro coleções especiais para esse tipo de produto.

A primeira refere-se ao público masculino, mercado que, segundo Cristiane, permite o desenvolvi­mento de caminhos olfativos mais perfumísticos, ambarados, orien­tais, cremosos, sem perder o fres­cor inicial da sensação de banho. Outra vertente de produtos é vol­tada ao ‘consumidor consciente do ambiente que vive’, e que deseja se proteger de agentes externos. Para eles, a fornecedora criou uma linha de fragrâncias para sabone­tes com ação antibacteriana.

 As outras duas coleções são a inspirada em perfumaria fina, fragrâncias mais duradouras e difusivas, e a baseada em um conceito mais natural, para aten­der ao consumidor cada vez mais interessado nos ingredientes, nas suas histórias e seus benefícios. Para o consumidor que busca produtos com apelo em naturali­dade e sustentabilidade.

A Firmenich é outra casa de fragrâncias que possui tecnologias inovadores e exclusivas que pro­metem incrementar a experiência do consumidor nos momentos chaves do banho, segundo Cristia­ne Barreiros, diretora de desenvol­vimento da empresa. Um exemplo é o blooming, ou seja, “a explosão de fragrância no momento do ba­nho e o rastro no ar que preenche o banheiro após o banho”.

“Isso pode ser amplificado por meio da combinação de matérias­-primas estrategicamente selecio­nadas devido a propriedades es­pecíficas, que ativadas no contato com a água inundam o corpo e o banho de perfume, trazendo sen­sações que envolvem e despertam todos os sentidos durante o banho e logo após o seu término”, expli­ca a executiva.

De acordo com a empresa, metade dos consumidores brasi­leiros espera que as fragrâncias durem mais de seis horas na pele, e de forma efetiva. “A entrega da perfumação de longa duração, o long lastingness, pode ser alcan­çado por meio de distintas tecno­logias para barras e líquidos, res­peitando as diferenças técnicas de formulação”, completa Cristiane.

Para sabonete em barra, a fornecedora possui uma tecno­logia que consiste em “uma en­genharia perfeita de fragrância capaz de promover perfumação de longa duração”, proporcio­nando a sensação de bem-estar do banho ao longo do dia. Já para itens líquidos, a experiência pode vir através de cápsulas de perfu­me, que se depositam na pele e se rompem com a fricção, propor­cionando uma sensação ativa de perfumação com o toque. “Essa tecnologia começou a ser explo­rada globalmente em recentes lançamentos e deve ser a grande tendência de experiência de per­fumação na categoria”, conclui a diretora da Firmenich.

Matéria-prima – Mirando as oportunidades de crescimento da categoria de sabonetes líquidos, a Dow mostra como as iniciativas de inovação começam até mes­mo no fornecedor de matéria­-prima, seja por meio de sugestão de formulação ou despertando o interesse do fabricante para criar novidades. A empresa informa que possui um amplo portfólio de soluções que podem se adequar às formulações mais inovadoras nesse mercado, mas está de olho mesmo é nos líquidos.

“No Brasil, vimos que o seg­mento de sabonete líquido está crescendo, e por isso buscamos aprimorar as nossas tecnologias e os testes de desempenho para atender à demanda”, afirma Gisle­ne Attilio, gerente de marketing da Dow na América Latina. Segundo ela, os produtos mais procurados são suspensão de partículas e di­ferentes viscosidades para os sa­bonetes líquidos. Já para os sabo­netes em barra, a executiva conta que há uma busca constante por melhoria de sensorial.

A Basf também tem soluções para sabonetes, que, embora não sejam lançamentos, estão alinha­das às demandas no País, segundo Luis Julian Junior, coordenador téc­nico de cuidados pessoais na em­presa. “O que temos visto é que existe uma orientação para produ­tos mais hidratantes, com melhor perfumação e sem questionamen­tos toxicológicos”, conta.

Segundo o especialista, ali­nhada a essas necessidades do consumidor final, a fornecedora tem dois produtos chaves para o desenvolvimento de formulações. Um deles é um antioxidante não volátil que não se amarela com o tempo e é mais efetivo que o BHT (conservante), garantindo maior estabilidade e melhorando o ren­dimento da fragrância. “Seu efeito em preservar o cheiro do perfume é tão alto que em alguns casos pode permitir o uso de uma me­nor concentração de fragrância, tornando a formulação mais eco­nômica”, diz Junior.

O outro ingrediente, segun­do o técnico, é uma combinação de um tensoativo extremamente suave (Lauryl Glucoside) com um agente repositor de camada lipí­dica (Glyceryl Oleate), um produto que combina aspectos de limpeza suave e espumação, enquanto per­mite a criação de uma camada que mantém a pele hidratada.

Mudança de cultura – Enfim, as soluções que podem incrementar os sabonetes são desenvolvidas já nas empresas de matérias-primas, que auxiliam fabricantes a encon­trarem melhorias e emplacarem inovação. Edmar Bueno, de ino­vação e desenvolvimento da Rinen Chemical, diz que a empresa ofe­rece diversificação, promovendo conceitos inovadores e funcionais, “deixando de lado matérias-primas que apenas ajudam no processo de fabricação e que não promo­vem reais benefícios para pele”. “Nossas soluções vão além dos benefícios visuais do produto, nos preocupamos com a experiência do consumidor e o toque sensorial do sabonete”, afirma.

A empresa destaca um plas­tificante, molécula multifuncio­nal exclusiva, que considera uma novidade da indústria química. Segundo Bueno, esse ingredien­te forma um filme sobre a barra, reduz a perda de umidade do sa­bonete, e, em sinergia com outro produto da empresa, melhora a performance da fragrância, fixa­ção, potencializando-a em conta­to com a água, além de reduzir a rachadura e melhorar a consistên­cia da espuma.

Bueno arrisca a pensar no sabonete do futuro. “É possível estimular os consumidores para que tenham diversos produtos para o banho e que haja um re­vezamento na utilização deles”, diz. “Sabonetes com alguma fun­ção mais específica não são vis­tos como sabonetes de utilização diária por pelo menos metade dos consumidores”, acrescenta. Outro insight levantado pelo es­pecialista sugere que é possível elaborar um sabonete com ma­térias-primas inovadoras e preço atraente para consumidores das classes C e D. Quem sabe esse seja um caminho promissor para estimular uma mudança de cultu­ra e hábito de consumo?

 

Tags

  • Sabonete
  • hidratante
  • oleosidade
  • pele
  • uso sustentável
  • sabonete em barra
  • sabonete líquido
  • microbioma
  • banho
  • perfumação
Mais sobre esta Edição
Parceiros H&C
  • Abipla
  • ABC
  • Abre
  • ABT
  • Anvisa
  • FCE Cosmetique
  • AACD
Rua Rio da Prata, 164 - Brooklin - São Paulo - SP - Brasil - CEP: 04571-210

Ftech Soluções em Internet